Motivos para não usar o Google DNS ou OpenDNS

em Artigos • 5 minutos de leitura

Li esse artigo na APCMag e achei interessante o que foi comentado no texto. O autor mora na Austrália e começa o artigo dizendo que você pode até pensar que está navegando mais rápido, porém pede para que pense novamente nisso, principalmente se morar fora dos Estados Unidos.

Obviamente, não somos norte-americanos nem muito menos moramos na terra do tio Sam. Ele também foi iludido pela propaganda da navegação mais rápida, porém acabou recebendo downloads em velocidade bem inferior ao que ele experimentava anteriormente. Se com um download as coisas não andam bem, pode significar também que a navegação igualmente não está vindo tão rápida quanto antes. Mas você sabe o que é um servidor DNS?

Servidor DNS

Ele é o responsável por descobrir o endereço IP por trás de um domínio. Domínios nada mais são do que apelidos para endereços IP, facilitando a leitura, escrita e memorização por parte dos mortais seres humanos. Já pensou ter que memorizar o IP 72.29.76.55 toda vez que quisesse visitar o AmigoGeek? Ou ter que memorizar 74.125.159.94 para acessar o Google? Aposto que nem sequer os IPs dos servidores do OpenDNS você sabe de cor e salteado.

Pois é, para isso que serve um servidor DNS. Eles estão entre as principais causas de lentidões no acesso aos sites que você visita, pois quanto mais usuários um provedor de internet (ISP) possui, mais requisições são feitas ao servidor DNS dele que acaba sobrecarregado e todo mundo acaba perdendo para uma lesma. Sabe aquele pequeno atraso antes de carregar uma página? Ele é causado pelo seu computador buscando informações sobre o domínio no servidor DNS. Caso seu PC não tenha o IP resultante em cache, ele vai ter que esperar uma resposta antes de prosseguir.

E nem vou citar os casos em que os servidores DNS são envenenados ou hackeados, causando problemas de segurança aos usuários. Devido as muitas reclamações referentes a problemas e lentidão e segurança de servidores DNS, empresas privadas de grande porte acabaram decidindo lançar seus próprios serviços públicos de resolução de nomes de domínio. Os dois principais players nesse jogo são o Google DNS e o veterano OpenDNS.

Antes de continuar, vamos falar da Akamai. Ela é um sistema global de servidores que armazenam arquivos em massa em diversos locais pelo mundo, incluindo ISPs parceiros que topam fazer um cache camarada em seus datacenters conectando-os a rede da Akamai. Por isso quando você baixa softwares de grandes empresas como Apple e Microsoft, o arquivo vem na velocidade máxima da conexão pois está vindo do servidor Akamai mais próximo da sua localização geográfica, talvez até de dentro da rede do seu próprio provedor.

O principal ponto a favor da Akamai, e que faz esta ser uma rede tão amplamente usada, é o fato dela ser responsável por desafogar os servidores do fornecedor primário do arquivo e passar uma boa imagem do ISP para o cliente que fica com os olhos brilhando quando baixa algo no máximo da sua conexão, pois o arquivo pode estar vindo de um servidor Akamai dentro do país do visitante ou dentro da rede do ISP do usuário.

Pois bem, usar servidores DNS públicos que não estejam localizados no seu país destrói a capacidade do seu computador encontrar o servidor da Akamai mais próximo, o que acaba por deixar seu download bem mais lento. Assim, devido aos servidores DNS públicos estarem localizados principalmente nos Estados Unidos, o servidor Akamai que será conectado a você estará por lá. Mesmo no Brasil, a conexão através de links internacionais não é perfeita e muitas vezes cai ou sofre lentidão. Isso vai se refletir na qualidade do seu acesso a sites e também downloads.

Apesar dos pontos positivos de se usar um servidor DNS de uma empresa especializada – que inclui atualização mais rápida dos registros DNS quando novos domínios são registrados ou o endereço IP de um site é alterado e também proteção superior contra sites falsos e capacidade de gerenciar o acesso (controle dos pais) – eles podem te privar de velocidades melhores no acesso a sites e arquivos. Obviamente eles não vão deixar claro que todas aquelas vantagens só vão mostrar todo seu poder de fogo para residentes dos Estados Unidos ou países que tem servidores para suprir a região.

De acordo com o autor do texto original, grande parte desse problema vem da Akamai usar os servidores DNS de uma forma para o qual eles não foram projetados. Dan Warne até tentou entrar em contato com os responsáveis pela rede para ver se eles tinham algum plano para que isso não ocorresse mais, porém não obteve resposta. Eles precisam encontrar um jeito de evitar que o servidor que fornecerá o arquivo seja decidido baseado no servidor DNS e não no país do visitante.

Outra solução seria as empresas fornecedoras de DNS público passassem a instalar servidores em mais regiões. Se o OpenDNS trouxesse um servidor para o Brasil, já seria um grande avanço e invalidaria grande parte desse artigo. Atualmente eles tem máquinas operando em Amsterdam, Chicago, Dallas, Frankfurt, Londres, Los Angeles, Miami, Nova Iorque, Palo Alto, Seattle, Singapura e em Washington. Toda a América do Sul também sairia ganhando com um servidor em nosso país.

Muito longo, nem li

Resumindo: usar servidores DNS que não o do seu ISP pode piorar a sua experiência na internet em vez de melhorar, pois a nata dos benefícios em usar esses serviços são destinados a residentes dos Estados Unidos ou de países com servidores da empresa fornecedora. O ideal seria insistir para que servidores sejam instalados no Brasil e até lá evitar o uso de serviços estrangeiros. No Brasil mesmo tem um serviço chamado GigaDNS (que, inclusive, agora conta com endereços IPv6) e que vale a pena ser testado.

Concorda? Discorda? Tem algo a adicionar? Você tem vez e voz nos comentários! Faça uso deles.

28/02/2012 às 20:07
Quer comentar esse artigo? Use as redes sociais!
Mencione o @BlogAmigoGeek ou comente em nossa fan page.
9da9cbf7e131f32bfecf794d163c4a2eaaaaaaaaaaaaaaaaa